passport cover louis vuitton giving another uses 2

passport cover louis vuitton giving another uses 1

I won’t lie to you guys, completamente viciada em vídeos de unboxing e reviews! I just came across in a random way and I love it now. Ok que muitas vezes esses vídeos despertam o consumismo, mas também lhe dá perspectiva sobre comprar ou não determinado item. E se for em Inglês, praticar o listening com sotaques de várias partes do mundo. Outra coisa boa, são os diferentes usos que outras pessoas dão aos mesmos itens que você tem em casa. Um dos meus vídeos favoritos são da LVloverCC. Uma pessoa bem normal que faz vídeos super legais mostrando as coisas que ela compra e detalhes de sua vida pessoal. E outro dia, ela mostrou o seu closet e adorei como ela deu um uso diferente à capa de passaporte da LV que também tenho aqui em casa e estava sem uso. Não é legal ter um item caro em casa e quase nunca usar. A dica dela é usar a capa de passaporte como um elegante caderninho de anotações. Que boa ideia! O moleskine de dentro é da Cícero Papelaria comprado na Livraria Cultura. Encaixou perfeitamente. Aí, comprei a caneta da Crown dourada para fazer conjunto com o caderninho. Enfim, espero que gostem da dica também como eu gostei. Um beijo e até a próxima postagem, obrigada pela sua visita! 

animal print 2017_1

animal print 2017_2

animal print 2017_3

animal print 2017_4

Surprise, surprise! Cortei o cabelo essa semana e estou adorando a praticidade de um cabelo mais curto. Decidi cortar por impulso e não me arrependi. Acho que há mais de 10 anos não mudava o corte de cabelo. E para marcar a mudança, um look um pouco mais ousado com animal print de leopardo que está num super come back pelo que tenho visto nas redes sociais. O look inteiro aqui foi montado com peças do guarda-roupa, não tenho comprado roupas ultimamente, apenas bolsas e acessórios. Que tal o look? Espero que curta :) Um beijo e até a próxima postagem!

Fotos by Tnol

 

Esse fim de semana fui ao cinema ver a Blade Runner 2049, mas há um mês atrás assisti ao primeiro Blade Runner, de 1982, e fiquei maravilhada. Claro que já tinha assistido provavelmente em alguma sessão da tarde o filme de 82, mas lembrava de pouca coisa. E nossa, Blade Runner de 1982 é mesmo uma verdadeira obra prima. Desde à música, aos personagens, passando pela história, cenografia, um filme grandioso e fundamental até. Impossível esquecer aquela trilha sonora grandiosa de Vangelis. Que tanto escutei quando era criança, minha mãe sempre foi uma grande fã de rock progressivo. Thanks mom! Anyway, então imagina a minha expectativa para ver Blade Runner 2049. Gostei de Blade Runner 2049 e até quero ver mais uma vez, achei demais rever de forma atualizada a atmosfera de Blade Runner e até reencontrar Harisson Ford, personagem principal do primeiro filme. Mas achei frágeis alguns pontos da narrativa e senti falta dos grandes diálogos de cunho filosófico que o Blade Runner de 82 tem e que o torna genial. Sem falar na música, queria mais Vangelis em Blade Runner 2049. A música de Vangelis só aparece no final do filme, uma única vez. De toda forma, é um filme belíssimo e vale demais a ida ao cinema. Veja o trailer acima e sinta um pouco de Blade Runner 2049. Bom filme!

repetto rio de janeiro shopping village mall barra da tijuca artigos de ballet

repetto rio de janeiro shopping village mall barra da tijuca artigos de ballet 2

repetto rio de janeiro shopping village mall barra da tijuca artigos de ballet 3

repetto rio de janeiro shopping village mall barra da tijuca artigos de ballet 4

repetto rio de janeiro shopping village mall barra da tijuca artigos de ballet 5

Falando em ballet, aproveitei a minha quick trip to Rio de Janeiro para o Rock In Rio – which by the way was awesome, great festival – e fui conhecer a Repetto lá do Shopping VillageMall, na Barra da Tijuca. A loja é linda e segue inteiramente o padrão da Repetto lá de Paris. Esperava encontrar os preços dos collants ainda mais caros, mas curiosamente, apesar dos collants serem importados, estão na mesma faixa de preço dos collants nacionais que estão à venda aqui em Recife. Acho que os preços aqui em Recife estão mais inflacionados do que imaginava. Anyway, a Repetto é bem clássica e, além dos artigos para a dança, a loja tem uma variedade enorme de sapatos e sapatilhas para serem usados fora da sala de aula. São sucesso no mundo todo. Nesse mural de fotos da loja até os Rolling Stones estão ali usando um sapato de marca, yeah! E off topic, um sneak peek da minha companheira de viagem, a bolsa Keepall 45 LV. I only travel light these days…

:)

Fotos by Tnol

 

biblioteca básica ballet clássico

Talvez uma das coisas que eu mais me dedique, meu Deus, 5 dias por semana e sábados ocasionais para ensaios extras; sim, o ballet clássico exige muuuito. Mas não há como não amar, essa busca constante pelo impossível e aquela sensação fantástica quando finalmente se acerta um passo ou quando percebemos que estamos compreendendo no nosso corpo um movimento.

Entretanto, além da sala de aula e da atenção ao que o professor está ensinando, refletir e estudar metodologia fora das aulas faz toda a diferença. Sem contar ainda os trabalhos físicos extras para condicionar o corpo e diminuir as lesões. Separei aqui esses dois livros essenciais. O primeiro é o Anatomia da Dança, de Jacqui Greene Hass. Um livro que detalha e explica toda a cadeia muscular mais usada pelo bailarino, para não ficar voando quando o professor menciona um músculo ou cadeia óssea, e ainda exercícios físicos super descomplicados para fortalecer os músculos mais utilizados nos movimentos do ballet clássico. Legal para trabalhar o físico em casa nos dias livres, todavia, fazer um Pilates ajuda muitíssimo a conquistar o tão sonhado corpo de bailarina.

O segundo livro é o Princípios Básicos do Ballet Clássico, de Agrippina Vaganova. É a bíblia do Ballet Clássico na metodologia russa. É um livro tão importante, que é amplamente copiado no mundo inteiro em dezenas de outras publicações. Existem muitas escolas e métodos de ballet clássico, todavia, ballet será sempre ballet aonde quer que você vá. Mas um método sólido ajuda bastante a construir um bailarino com uma técnica apurada. Eu escolhi o método russo e dei sorte de ter uma professora que trabalha seguindo esse método.

Mas já li bastante sobre ballet clássico, há livros que trazem motivação e ainda reflexão sobre a dança. Um outro essencial que já li e indico é o do Flávio Sampaio, Ballet Essencial. Se encontrar por aí segure-o. Um livro bem interessante sobre a vida de um bailarino e como chegar à carreira profissional. Outro livro lindo é o Adeus, China – O último Bailarino de Mao, de Li Cunxin. Uma história inspiradora de um bailarino chinês que conseguiu vencer na carreira diante de tantas adversidades. Uma amiga me indicou o livro da Ana Botafogo, Na Ponta dos Pés, está na minha lista para ler aqui. Enfim, espero que curta o post. Um beijo bailarinístico e até a próxima postagem!